Livro "Transtorno Mental e Perda da Liberdade" para download






          O livro lançado pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) abre espaço para debates sobre a questão das internações involuntárias e compulsórias de pacientes com transtornos mentais e dependência química. Polêmica, essa política de internações não consentidas ganhou notoriedade após as intervenções na chamada Cracolândia pelo poder público paulista, a partir de janeiro de 2012, mas há anos a questão é debatida pelos profissionais de saúde.

         A polêmica e as incertezas em torno das condutas e do regramento aplicados à perda de liberdade no contexto do transtorno mental ilustram a gravidade de um tema que se arrasta por séculos. Os desafios e dúvidas não diminuíram, mas a ferida ficou mais exposta. Hoje, ela pode ser vista nas ruas, na figura de esquálidos dependentes de crack enrolados em cobertores. E ganhou espaço nobre na mídia, onde especialistas, gestores e políticos não chegam a um consenso.

         A questão, agora centrada nas internações involuntárias e compulsórias de dependentes de crack – maiores e menores de idade, também nos remete ao recolhimento de pacientes com transtornos mentais sem o devido diagnóstico e acompanhamento. Sem esquecer o abandono a que são relegados os cerca de 12% da população carcerária do país que sofrem com problemas mentais graves e que não contam com assistência mínima.

Renato Azevedo Júnior
Presidente do Cremesp

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Feliz 2011

Wiley promove webinar sobre publicação de artigos em revistas científicas

Plataforma dos treinamentos online passa por atualização e oferece novas funcionalidades