segunda-feira, 15 de maio de 2017

Cientistas discutem resistência a inseticidas e controle de vetores


As perspectivas e os desafios diante do impacto da resistência aos inseticidas no controle de mosquitos transmissores de arboviroses, em especial o Aedes aegypti, vetor dos vírus dengue, zika e chikungunya, nortearam a reunião que marcou um ano da criação da Rede Internacional de Resistência a Inseticidas (WIN, na sigla em inglês). Dentre o grupo de pesquisadores nacionais e internacionais que integram a Rede, estão especialistas do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz). O encontro foi realizado nos dias 4 e 5 de maio, no Rio de Janeiro.
Na reunião estratégica, os cientistas avaliaram o primeiro ano de atividades e definiram os próximos passos. “Unimos pesquisadores de instituições de diferentes países e formamos um grupo bastante colaborativo. Neste encontro pudemos avaliar os objetivos iniciais, progressos e realizações até o momento. Também estamos planejando a expansão da Rede e a realização de novas parcerias”, salientou Ademir Martins, pesquisador do Laboratório de Fisiologia e Controle de Artrópodes Vetores do IOC e membro do comitê executivo da Rede WIN. 
Os pesquisadores discutiram, ainda, diretrizes que envolvem o futuro da Rede, considerando a ampliação, o escopo e a busca por novas fontes de fomento. “Renovamos o compromisso em manter a rede existente e ativa. Acredito que, assim, conseguiremos dar suporte à Organização Mundial da Saúde e às redes locais e regionais de monitoramento da resistência em Aedes aegypti, contribuindo para o controle do vetor”, concluiu.
Ao longo do primeiro ano, os membros da Rede se dedicaram à elaboração de diversos estudos. Dentre eles, estão pesquisas sobre estratégias de aprimoramento na gestão da resistência e no controle de vetores de arboviroses emergentes; panorama da resistência em relação aos principais vetores de patógenos que infectam humanos; métodos alternativos de controle de mosquitos; e abordagem integrada na gestão das doenças transmitidas pelo Aedes.
Ainda em 2016, o grupo realizou um encontro internacional que reuniu mais de 150 participantes de 30 países durante o Workshop Insecticide resistance in vectors of emerging arboviruses: challenges and prospects for vector control.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário: