segunda-feira, 20 de outubro de 2014

OMS reúne vídeos de campanhas de segurança no trânsito em biblioteca online


Imagem do vídeo brasileiro que compõe a videoteca. Objetivo da OMS é inspirar a realização de campanhas e estimular cidadãos a cumprirem as leis de trânsito. Imagem: Reprodução


          Algumas das mais impactantes campanhas publicitárias contra a imprudência e violência no trânsito foram compiladas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em uma biblioteca online. O site contém cerca de 58 vídeos em diferentes línguas, como inglês, espanhol, tcheco, russo, português, entre outras, com o propósito de encorajar e inspirar aqueles que desenvolvem esse tipo de iniciativa, além de aumentar a consciência do público a respeito de leis de trânsito e criar um estímulo para que sejam respeitadas. No mundo, mais de 1,2 milhão de pessoas morrem anualmente em incidentes envolvendo meios de transporte e mais de 50 milhões ficam feridas em diferentes gravidades.
          Algumas das campanhas veiculadas são visualmente impressionantes e não economizam em cenas de trauma, como as desenvolvidas pela Comissão de Acidentes de Transporte (TAC), da Austrália. Um dos exemplos é o vídeo “10 km/h a menos” (veja vídeo abaixo), que mostra em detalhes as consequências de um impacto contra um pedestre, explicadas por um médico, e a diferença que faz se esse impacto ocorrer em uma velocidade menor. O objetivo é explicar que não importa se o pedestre está desatento: se o objetivo é evitar mortes, o excesso de velocidade deve ser combatido.




          Só há uma contribuição do Brasil na videoteca: o vídeo Um ou dois copos, um dos mais explícitos do país, em meio a um histórico de campanhas amenas demais para um cenário que contou 46.256 mortos no trânsito somente em 2011, segundo dados do estudo “Mapa da Violência”, divulgado no fim de 2013. São 22,67 mortes a cada 100 mil habitantes no Brasil.
          Na Austrália, país de 23,5 milhões de habitantes e responsável pelas campanhas de conscientização mais explícitas, essa taxa é de 5,2 mortes a cada 100 mil habitantes, com 1.193 mortos nas ruas e estradas australianas em 2013. Mesmo com números proporcionais muito inferiores aos brasileiros, a TAC anuncia, a cada ano, que tem ainda um longo caminho pela frente. Afinal, para quem perde um ente querido, uma única morte é suficiente para arruinar a família. Como bem lembra o texto de apresentação do site da OMS, a maior parte dessas tragédias pode ser prevenida.




Lívia Araújo

Acesse aqui a Biblioteca online

FONTE: Vá de Bike, 20/10/2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário: