sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Saiba como se preparar para o Horário Brasileiro de Verão

Na madrugada de sábado (15) para domingo (16), começa o horário de verão para dez estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina) e o Distrito Federal. Com a mudança, os relógios devem ser adiantados em uma hora. As regiões Norte e Nordeste não terão o horário alterado.
Até o dia 19 de fevereiro de 2017, quem levanta cedo vai acordar com o céu escuro, e vai ver a noite chegar mais tarde. Essa variação, em conjunto com uma hora a menos de sono, pode acarretar, para algumas pessoas, sintomas como cansaço e estresse. E isso tem explicação.
Por mais que pareça simples, essa variação da claridade na hora de acordar e dormir, acabam gerando uma série de mudanças no nosso corpo até que ele se adapte. “Quando começa o horário de verão, dificilmente a pessoa consegue dormir uma hora antes. Por isso acaba ficando alguns dias com o relógio biológico alterado”, explica a Dra. Mariana Tavares, médica especialista em endocrinologia e metabologia.
 Além disso, a secreção de dois hormônios importantes sofrem alterações: a melatonina e o cortisol. Em relação ao primeiro, a endocrinologista explica que as mudanças na produção do hormônio se dão por conta das noites mais curtas, e do despertar quando ainda está escuro. “A melatonina, que é um hormônio que regula o nosso sono, é inibida com a claridade e estimulada no escuro. Com o horário de verão, o corpo tende a produzir menos melatonina. Essa queda faz a pessoa ficar mais cansada, irritada, mal-humorada e com mais sono”.
Já com o cortisol, hormônio do estresse, a diminuição do tempo de sono acelera a produção. “A regulação do cortisol tende a ficar maior quando a gente tem privação de sono. Então isso também faz o indivíduo ficar um pouco mais cansado, irritado, e reter liquido”, explica Mariana.
Essas alterações geralmente ficam mais perceptíveis durante os primeiros dias da mudança, mas o corpo se adapta depois de alguns dias com o novo horário. Em média o tempo de adaptação é de uma semana a dez dias. O servidor Jandher Oliveira conta que gosta do horário de verão , e que não tem muita dificuldade para acostumar com o novo horário. “Acordar cedo para cumprir os compromissos, incomoda um pouco no começo, mas depois melhora. Até almoçar mais cedo é estranho, e acabo comendo menos. Mas no fim parece que você vive mais, que sai do trabalho e ainda tem o dia para aproveitar”, conta.
Como diminuir os sintomas decorrentes do horário de verão:
• Dormir alguns minutos mais cedo todos os dias da primeira semana pós-mudança de horário;
• Tentar dormir no mesmo horário; 
• Dormir em um ambiente escuro e silencioso;
• Evitar o uso de televisão e celular ao deitar;
• Evitar o consumo de cafeína antes de dormir; 
• Evitar exercícios cerca de 3h antes de dormir; 
• Não ingerir alimentos pesados antes de deitar;

É importante lembrar que essas atitudes podem ajudar a reduzir os sintomas, mas não evitam que eles aconteçam. O essencial é esperar o tempo de adaptação do corpo.
Aline Czezacki, para o Blog da Saúde
Fonte: Blog da Saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário: