sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Acervo educacional da UNA-SUS ganha coleção para TCC’s

Os  Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) dos alunos das especializações oferecidas pela Rede UNA-SUS ganharam uma coleção específica no Acervo de Recursos Educacionais em Saúde (ARES). O objetivo é reunir, preservar e permitir acesso público à produção científica fruto da conclusão de curso.
Para conhecer a coleção, clique aqui.
Os trabalhos são projetos de intervenção locais, que consistem em uma proposta de ação a ser realizada pelos alunos - participantes do Mais Médicos e PROVAB -, que deve ter como foco a melhoria das condições de saúde da população, no contexto da Atenção Básica. Ao total, já foram disponibilizados 2.462 trabalhos no acervo. As universidades pioneiras nessa iniciativa foram a Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
A cientista da informação e técnica do ARES, Fernanda Monteiro, explica que um dos grandes desafios para a disponibilização dos TCCs era o grande volume de documentos a serem descritos de forma padronizada. “Adaptamos o protocolo de intercâmbio de dados para que este coletasse tanto os metadados quanto os arquivos de TCC disponíveis nos repositório já mantidos pelas instituições, respeitando o padrão estabelecido para o ARES”, diz Fernanda.

Esse processo de importação entre os repositórios é denominado Harvesting e segue as bases do protocolo OAI-PMH - que diz respeito à interoperatibilidade entre repositórios e bibliotecas digitais das instituições. Foi implementado no ARES um recurso adicional que permite a importação dos metadados e arquivos dos Trabalhos de Conclusão do Cursos da UNA-SUS, sejam eles imagens, vídeos ou textos. Além disso, é possível completar a descrição de recursos no próprio ARES caso algum metadado não tenha sido preenchido no repositório de origem.

Esse modelo de submissão permite a redução do tempo gasto na descrição e submissão dos arquivos, garantindo rápida visibilidade aos conteúdos. A estratégia consiste em validar os dados encaminhados pelas instituições no formato xml para que o ARES faça a leitura e realize a importação de arquivos. “Se o recurso for preenchido corretamente de acordo com as regras de submissão do ARES, ele é publicado automaticamente. Do contrário ele irá para o pool de revisores para a verificação e preenchimento dos metadados e segue o fluxo normal de uma submissão”, esclarece Fernanda.

De acordo com Jacqueline Pawlowski, bibliotecária do Núcleo de Educação em Saúde Coletiva (Nescon/UFMG), para que se tornasse possível o compartilhamento destes recursos foi necessário fazer um intercâmbio de informações com a SE/UNA-SUS. “Conseguimos padronizar todos os dados de exportação e garantimos uma estrutura confiante de gerenciamento de dados. Estes dados são exportados já com o padrão de linguagem xml que permite a validação da estrutura do arquivo, como também de seu conteúdo”, conta Pawlowski. “Disponibilizar os TCC’s no ARES potencializará o processo da mediação educacional especificamente ao poder resgatar o conhecimento adquirido pela prática, bem como compartilhar recursos informacionais com outras instituições”, finaliza.

Para Rafael de Castro, responsável pelo Relacionamento Educação-Tecnologia na UNA-SUS/UFPel, o trabalho de automatização da submissão de TCC no ARES não possibilitou apenas o carregamento e a disponibilização desses importantes recursos educacionais. “A partir deste esforço, foi possível padronizar os metadados utilizados pela UFPel com os propostos pela Rede UNA-SUS, bem como refletir e definir quais dados deveriam ser descritos. E o projeto foi além: a partir das rotinas desenvolvidas pelas equipes de Tecnologia da Informação (TI), foi possível vincular cada Trabalho de Conclusão de Curso (arquivo .PDF) de um egresso do Curso de Especialização com os links correspondente aos vídeos (defesa e banca) de sua defesa no Youtube e com a apresentação da defesa do TCC (arquivo .PPTX/PDF), em um processo totalmente automatizado”, comemora.

“A disponibilização dos trabalhos defendidos pelos profissionais-especialistas egressos da Especialização da UFPel no ARES, seja o documento do TCC, a apresentação ou os vídeos das defesas, propiciam a divulgação de boas práticas realizadas na Atenção Básica e possibilitam a disseminação dessas iniciativas, contribuindo para a melhoria dos serviços de saúde (tanto o aumento de cobertura das ações como a melhora da prática clínica), intensificando, cada vez mais, a relação ensino-serviço”, afirma Rafael. “O ARES é uma ferramenta fundamental para que essa rede de colaboração e troca se desenvolva", pontua.

Fonte: SE/UNA-SUS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário: