quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Documentário sobre esclerose lateral amiotrófica em exibição no Espaço Itaú




                   Está em cartaz em seis capitais brasileiras, entre elas Porto Alegre, o documentário Eu Respiro, que conta a história de um jovem pai que tem sua vida modificada rapidamente em decorrência da esclerose lateral amiotrófica (ELA).
                   Em exibição no Espaço Itaú de Cinema, o filme dirigido pelas escocesas Emma Davie e Morag McKinnon terá a renda revertida ao Instituto Paulo Gontijo (IPG), organização não governamental sem fins lucrativos que incentiva a realização de pesquisas e estudos científicos para o conhecimento da ELA.
                  O longa já participou de diversos festivais ao redor do mundo e recebeu o prêmio de melhor documentário no RiverRun International Film Festival, nos Estados Unidos.
                 Neil Platt, personagem principal do documentário, fica completamente paralisado do pescoço para baixo. Com o corpo cada vez mais fraco, sua perspectiva sobre a vida muda e sua preocupação é deixar uma caixa de memórias para o filho Oscar, de 1 ano. Durante a reflexão dos últimos meses de vida, ele relata sua trajetória a partir de suas memórias e impressões sobre o amor, a amizade e seus passeios de moto.
                  A ELA acomete pessoas de todas as idades, com maior frequência a população entre 65 e 74 anos, e caracteriza-se pelo comprometimento da mobilidade e da fala dos pacientes. A doença ataca os neurônios motores que enviam mensagens do cérebro para os músculos e é progressiva.
                 O IPG – instituição idealizada pelo físico e engenheiro civil Paulo Gontijo (1932-2002), portador da doença – incentiva os estudos sobre a ELA nas áreas de diagnóstico, genética, tratamento e epidemiologia. Desde 2007, estimula jovens pesquisadores ao redor do mundo no estudo em busca da cura da doença por meio do Prêmio PG de Medicina e, em âmbito nacional, por meio de prêmios de Física, Química e Matemática.

Assista o trailer:



FONTE: Agência FAPESP, 27/11/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário: