quarta-feira, 4 de abril de 2012

Estudo explica como funciona a resistência a analgésicos


Tomar analgésicos demais faz com que o corpo crie resistência, e eles logo param de funcionar. Um estudo publicado na terça-feira (3) mostra como é provocada esta resistência natural aos analgésicos derivados do ópio, como a morfina.

Segundo os autores do artigo, que saiu no Journal of Neuroscience, entender a causa desta resistência é importante porque pode levar ao desenvolvimento de novos tipos de remédio, que levem a uma resposta mais eficiente.

A pesquisa estudou a interação entre as moléculas do analgésico com os receptores, que são moléculas situadas na parede de cada célula humana. Estes receptores reagem às substâncias químicas que entram em contato com esta célula.

“Até agora, os cientistas acreditavam que os ligantes [substâncias] serviam como interruptores para ligar ou desligar estes receptores, e todos produziriam o mesmo tipo de efeito, com variações na magnitude da resposta que eles obtêm”, explicou Graciela Pineyro, autora do artigo, em material divulgado pela Universidade de Montreal, no Canadá, onde ela trabalha.

“Agora sabemos que as drogas que ativam o mesmo receptor nem sempre produzem o mesmo tipo de efeitos no corpo, pois os receptores nem sempre as reconhecem da mesma forma”, concluiu a pesquisadora.

A partir desta compreensão dos diferentes efeitos provocados por uma substância específica, a equipe de Pineyro tentará definir como são gerados os resultados desejados e os considerados ruins. Com isto, ela espera melhorar a qualidade dos analgésicos, eliminando os efeitos colaterais, como a resistência criada pelo corpo.

FONTE: G1 Ciência e Saúde, 3/04/2012


The Journal of Neuroscience,32(14): 4827-4840; doi: 10.1523/​JNEUROSCI.3734-11.2012

Título:

Differential Association of Receptor-Gβγ Complexes with β-Arrestin2 Determines Recycling Bias and Potential for Tolerance of Delta Opioid Receptor Agonists

Autores:
  1. Graciela Pineyro

Deixe seu comentário:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário: