sexta-feira, 10 de junho de 2011

Estudo da Yale mostra como nicotina emagrece quem fuma

Ricardo Bonalume Neto

São Paulo

Parar de fumar significa quilos a mais na balança. Agora, uma pesquisa publicada na revista "Science" desvendou o mecanismo responsável por diminuir a fome dos fumantes.

Descobriu-se que a nicotina, composto presente no tabaco e que causa dependência, reduz o apetite ativando um grupo de neurônios no cérebro, na região do hipotálamo, ligados à saciedade.

A nicotina faz esses neurônios sinalizarem que a pessoa já comeu o suficiente.

"Há duas maneiras de os fumantes se beneficiarem dessa informação para impedir que ganhem peso quando largarem o hábito", disse à Folha Marina Picciotto, da Universidade Yale (EUA), líder da pesquisa.

A cientista afirma que o uso de substitutos do cigarro, como o chiclete de nicotina, pode ativar os receptores neuronais identificados na pesquisa e ajudar a controlar o apetite da pessoa.

Outra opção, ainda experimental, é o uso da droga contra depressão, disponível na Europa Oriental, que os cientistas testaram em roedores.

"Estudos ainda podem checar se os fumantes que tomaram essa droga, o Tabex, para largar o vício tiveram menos ganho de peso do que os que largaram sem tomar", diz a pesquisadora.


 
O trabalho ajuda a explicar por que os fumantes são, em média, mais magros do que os não fumantes e por que quem para de fumar tende a engordar, como foi demonstrado por vários estudos desde a década de 1980.

A pesquisa, feita em camundongos, submeteu roedores a testes genéticos, farmacológicos, fisiológicos e comportamentais.

A descoberta abre a possibilidade para a criação de drogas que ajudem a parar de fumar e controlem o ganho de peso decorrente disso.

"Entender os mecanismos por trás dos efeitos anoréxicos de fumar também facilita o desenvolvimento de tratamentos para prevenir ou tratar a obesidade", escreveram os pesquisadores.

Leia também:
 
Maioria dos ex-fumantes ganha peso
Indústria já usou inibidor de apetite em cigarro
 
FONTE: Folha.com, 10/06/2011
  
Deixe seu recado:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário: